sexta-feira, 31 de julho de 2009

SOBRE A PUNIÇÃO DA PSICÓLOGA ROSÂNGELA JUSTINO


Prezados senhores,

Manifesto publicamente minha preocupação quanto à possibilidade deste conselho em punir a Psicóloga Rosângela Justino por descumprir a resolução CFP 01/99 de 22 de março de 1999 que proíbe tratamento de homossexuais por psicólogos.

Pelo que sei a Dra. Rosangela simplesmente atende àqueles que incomodados por sua homossexualidade a procuram voluntariamente pedindo ajuda profissional quanto à crise existencial vivenciada. Assusta-me o fato de que o Conselho de Psicologia Federal considere a atitude de Rosângela discricionária e equivocada. Isto posto pergunto: Porventura não tem direito o que vive a homossexualidade desistir dela? E se o tem, não possui também o direito de receber ajudar profissional de um terapeuta quando solicitado? Ao afirmar que não, o CFP age de modo arbitrário aplicando sobre milhares de cidadãos brasileiros uma imposição de conceitos e valores absolutamente antagônicos a liberdade.
Prezados senhores a Carta Magna assegura a garantia dos direitos constitucionais conforme os termos dos Arts. 3º, IV; 4º, II; e 5º, IV, V, VI, VII, VIII, IX, X, XIII, XIV, XV, XVI, XVII, XVIII da Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1988, que nos assegura o direito de:a) PENSAR (liberdade de consciência);b) EXPOR NOSSAS IDÉIAS (liberdade de expressão, intelectual e científica);c) ASSOCIAR PARA APOIAR OS QUE QUEREM SER APOIADOS (liberdade de atuar e/ou fornecer informações à sociedade).
Sendo assim, manifesto meu repúdio a possibilidade de qualquer tipo de punição a psicóloga Rosângela Justino, como também a proibição deste respeitado órgão em não permitir que seus afiliados exerçam liberdade científica, de pensamento, e expressão.

Atenciosamente,

Renato Vargens

3 comentários:

Oliveira disse...

Homossexualismo

5 de agosto de 2009

Antigamente, quando alguém era contaminado pela lepra, imediatamente era confinado ao isolamento. Nesse caso, misericórdia e compaixão davam lugar às censuras, críticas e até condenações. Os religiosos eram os pilotos da condenação. Usavam e abusavam em nome de Deus para julgar e condenar os aflitos.

Os tempos mudaram. Mas o espírito condenatório se mantém. Hoje, muitos “cristãos” têm tratado os homossexuais como os leprosos do passado. Por quê? São eles mais santos? Mais justos?

Nosso Senhor foi claro e objetivo a respeito desse tipo de comportamento: “Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra.” (João 8.7)

Deus não nos tem dado autoridade espiritual para julgar e condenar ninguém! Ao contrário! Se alguém considera ser de Deus, então sabe perfeitamente que sua missão é para ajudar o semelhante. Não julgá-lo ou condená-lo!

Se queremos respeito à nossa fé, respeitemos a fé e opção de vida alheia! Se nem Deus impõe Sua escolha, quanto mais nós, meros mortais?

Poucos sabem que a hipocrisia é o pior de todos os pecados. E é justamente dentro de instituições religiosas que mais a encontramos.

Será que as palavras “…com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também.” (Mateus 7.1,2) não significam nada?

Publicado por Edir Macedo (http://blog.bispomacedo.com.br/)

Wagner disse...

Mas a questão é que este não é papel do psicologo, isso é aconselhamento, e papel de psicologo é ouvir o sofrimento e ajudar a superar, através de uma terapia de acolhimento e aceitação...
Isso é uma grande palhaçada que estão defendendo crentes, ela que vá para igreja fazer discuros, não atender pessoas que necessitam de ajuda.

Anônimo disse...

tenho certeza que os comentarista acima não tem conhecimento bíb lico para tais afirmações, se já foi paltado que ela atendia apenas aqueles que se sentiam mal e se sentiam mal é porque queriam uma mudança...Meus parabéns a psicologa Rosangela!!!